• Larissa Maciel

América 4x0 Potiguar: um jogo infeliz

Alvirrubro mossoroense deve analisar erros, mas não baixar a cabeça.


Antes de mais nada, evito ao máximo falar em placar mentiroso. Nem de longe o América foi uma máquina hoje. Máquina é Wallace Pernambucano. Prefiro dizer que o placar não conta as duas versões da história. Hoje foi assim. Óbvio que o América goleou, mas o Potiguar foi o seu próprio antagonista.


O que mais gostei de ver foi que o time desde o primeiro minuto manteve o seu estilo de jogo. Bola tocada de pé em pé, rápida, com participação dos pontas e chegada dos atacantes. O América permitia isso e só foi se aproximando do seu campo de ataque depois de uns 12 minutos. A infelicidade do goleiro Enzzo é o que dá o título da análise. O jovem goleiro foi infeliz, o Potiguar em sequência foi infeliz.


Foi infeliz no primeiro gol na bola atrasada, infeliz no segundo por um erro no toque da bola com o espaço para o Pernambucano descer com maestria, foi infeliz quando o mesmo Pernambucano ficou livre pra chutar de fora e fazer o terceiro. Erros cruciais que construíram um placar que só conta um lado da história.


Vou ignorar o segundo tempo porque acho desnecessário comentar. O que ressalto é a postura do alvirrubro. Claro que não foi aquele Potiguar das últimas três partidas, mas não se retraiu, não se permitiu retrair por medo do mandante. Se permitiu jogar. Por se permitir, falhou. E as falhas construíram o enredo de um dia infeliz.


Do blog - Não é hora de crucificar ninguém. Erro bom é aquela topada que a gente leva da vida e aprende a não repeti-la. Tem um segundo turno pela frente e essa equipe, comandada pelo treinador Luciano Quadros, merece respeito pelo forte trabalho que desenvolve.



67 visualizações1 comentário