• Larissa Maciel

Denúncia de manipulação de resultados não é de hoje. Veja linha do tempo do Blog

FNF parece só acordar em 2021 de um pesadelo que, pelo menos, parece ter começado em 2020.

foto: reprodução

A Federação Norte Rio Grandense de Futebol (FNF) só “acordou” para as denúncias de manipulação de resultados no futebol potiguar agora. Situações, no mínimo inusitadas, já foram apontadas no campeonato estadual de 2020. Jogos com alto número de escanteios, jogo com número alto de gols “ditavam” o ritmo da competição.


Em março do ano passado, por exemplo, aconteceu o fatídico jogo do Potiguar contra o Força e Luz. Na partida, o goleiro Wadson, considerado titular absoluto, foi sacado dentro do vestiário para a entrada do goleiro Aranha na época. Esta informação foi confirmada em entrevista ao Blog Larissa Maciel ao vivo no instagram. Veja um dos lances de Força e Luz 5x1 Potiguar.


Em agosto, ainda no fim do certame, bastidores da goleada sofrida também pelo Potiguar no estádio Nogueirão aqueceu ainda mais o tema. Jogadores relataram chateação e alguns pediram para sair após “entrega” do resultado para o adversário. Veja a matéria da época.


A situação só veio ser comentada de fato dentro do Potiguar quando o blog Larissa Maciel revelou uma ata de reunião onde o tema manipulação de resultados foi tratado dentro do Potiguar, em novembro de 2020. A ata também relatava o pedido de saída do empresário João Maria do clube, pedido esse negado pelo então presidente do clube, Benjamim Machado.


Logo após a matéria, o então presidente Benjamim Machado disse não compactuar com ilegalidades, mas se esquivou da exclusão do empresário do clube.


Em 2021, a situação não parou. Também no Potiguar, a torcida fez pressão nas redes sociais por explicação quanto a contratação de jogadores e a presença de mais figuras nos bastidores do clube. A pressão só explodiu de vez após a goleada sofrida contra o Assu, gerando a renúncia do próprio Benjamim e a saída também do então gerente de futebol Neto Juremal.


E o contexto se espalhou. Em 8 de abril, o técnico Renatinho Potiguar deixou o comando do Globo por “zelar pelo que é honesto”. A fala forte do treinador fazia referência a chegada de empresários do clube e a exigência da escalação dos seus atletas.


Lá em Assu também tem pressão de torcida. No dia 18 de abril, o blog Larissa Maciel também publicou uma nota de repúdio da torcida do camaleão pelo número de goleadas sofridas e a falta de transparência.


No dia 20 de abril, o blog Marcos Lopes noticiou a investigação de resultados que acontece também no futebol candango, no Distrito Federal. Reportagem esta que traz o detalhe da presença de Pinduca, nome que passou pelo Globo este ano, mas também não foi visto à beira das quatro linhas.


Maio:


Em 14 de maio, após a derrota do Potiguar por 4x1 para o Globo, o goleiro Luiz Felipe deixou o alvirrubro. Na fala de despedida, comentou sobre o seu nome ter sido envolvido em "denúncia de manipulação". Veja: https://www.instagram.com/p/CO4HdyLrd9L/


Em sequência, o atual presidente do Potiguar, Djalma Júnior, também resolveu falar do assunto: https://www.instagram.com/p/CO5qN1RD3rN/


O assunto seguiu no Globo. Informações apontaram que Vandeilton, campeão com a equipe no primeiro turno, foi ameaçado de demissão por não aceitar exigências em escalações.


E seguindo em Ceará Mirim, lances do jogo contra o Santa Cruz (23 de maio) e a discussão de jogadores com o diretor Marconi Barretto repercutiram em todo o estado. Em entrevista, ele diz que a discussão foi normal e o time jogou “maravilhosamente bem”. Veja um dos lances.


No Assu, a batata segue quente. Em áudio que circula nas redes sociais (25 de maio), o presidente Pedro Cavalcante esbravejou e disse não ligar para o que a torcida quer. Ouça.


Nesta quarta (26), o Força e Luz também se posicionou pedindo que os fatos sejam elucidados em relação a partida recente contra o Assu, que terminou em 0x0. O jogo teve 19 escanteios só no primeiro tempo e também gerou a notícia de fato da FNF para o Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) e Ministério Público.


O Globo também soltou nota sobre o assunto.


Até então, são várias denúncias e situações que a Polícia Civil, MP, Tribunal de Justiça e Federação terão trabalho para apurar e, além disso, comprovar. No entanto, diante dos fatos narrados em todo o estado e repercutido pela torcida e pela própria Federação, é de suma importância que tudo seja feito com clareza e transparência.


Existe uma pressão de bastidores de patrocinadores do certame pelo esclarecimentos dos fatos. É isso que pessoas sérias precisam pedir agora: a verdade.

88 visualizações0 comentário