• Larissa Maciel

Nogueirão, temporada, desabafo. A manhã de Benjamim na secretaria de esportes.

O presidente do Potiguar avisa que sem o estádio, o caminho para o estadual é mais do que incerto.

foto e montagem - blog Larissa Maciel

Entrevistei nesta terça (12) o presidente Benjamim Machado, do Potiguar, para a TCM e presenciei a reunião com o secretário de esportes, Júnior Xavier. A primeira pauta e quase única não poderia ser outra: Nogueirão. De cara, Benjamim pediu “é necessário que a prefeitura assuma o Nogueirão para anteontem”.


Isso devido ao forte apelo quanto a municipalização do estádio, que na visão do dirigente alvirrubro e também através de documentações, o velho Nogueira é do município. A ideia é reunir forças e, em audiência, entender os objetivos do prefeito Allysson Bezerra, que nos bastidores parece favorável ao prego batido e ponta virada da municipalização juridicamente.


“Se o prefeito quiser escrever o nome dele na história de Mossoró e do esporte da cidade, ele reforma esse estádio”, completou Benjamim.


Claro, a situação que o estádio vive confronta e muito os desejos e objetivos do Potiguar para a temporada deste ano. Na quinta, o clube estará representado na reunião com a FNF para o início do certame estadual, mas Benjamim frisou:


“Não começamos planejamento ainda porque sem estádio, sem campo para treinar e jogar, fica inviável. Hoje, estamos mais para Potiguar de Natal, de Assu do que de Mossoró sem um campo. Arrisco dizer que podemos não jogar o estadual. Mesmo sem rebaixamento, podemos ficar de fora devido a essa situação”.


Na reunião também ficou claro o pensamento do presidente alvirrubro quanto a Liga Desportiva Mossoroense.


“Nosso pensamento é que a Liga não tem mais condições de tocar o barco. Adiou uma eleição que consideramos irregular e não devemos participar da assembleia dia 18”.


Por fim, Benjamim também lamentou a falta de apoio da gestão anterior à campanha do clube na Série D.


“A Prefeitura prometeu aporte financeiro e não recebemos um real. Representamos a cidade e não recebemos qualquer apoio, enquanto lá em Assu, por exemplo, o time ainda tem apoio”.


Por fim, vale salientar que um encontro entre os representantes de Potiguar, Baraúnas e Mossoró com a secretaria de esportes, prefeito e demais interessados no assunto Nogueirão deverá ser marcada em breve.


Do blog – Presenciei 90% da reunião e nessa, concordo em gênero número e grau com o presidente do Potiguar, assim como com o secretário Júnior Xavier. O Nogueirão é um abacaxi pra lá de maduro que precisa ser descascado. É patrimônio histórico e deve ficar com o município por lei, do povo e para o povo. Esse abacaxi está rodeado de moscas anônimas e não anônimas que tem interesses pessoais nessa questão. É hora de afastá-las, cuidar desse patrimônio esportivo. Se o prefeito conseguir reverter esse quadro, escreve realmente seu nome na história da cidade. Não com uma maquete, mas com uma construção de pé.

105 visualizações0 comentário