• Larissa Maciel

O que esperar do segundo turno?

Equipes tentam se repaginar pensando na segunda etapa do certame. Menos o ABC, claro.

A primeira etapa do campeonato estadual já foi. Sem dúvida alguma, a pequena mudança na fórmula do campeonato sugerida principalmente pelas equipes do interior deu, pelo menos, um ar de competitividade maior entre as equipes.


Deu pra notar isso principalmente na tabela embolada com todos os times, em tese, buscando uma vaga nas semifinais. A decepção do primeiro turno dá pra dizer facilmente que foi o Globo. Atual campeão estadual, a águia de Ceará Mirim não conseguiu se impor diante dos rivais e foi batida várias vezes. Só o Potiguar de Mossoró respeitou demais essa pecha dentro de seus domínios e deixou escapar uma vitória importantíssima no Nogueirão.


O que dá pra notar quanto a virada de página para o segundo turno é a manutenção de poucos técnicos no certame que é de tiro curto. No Potiguar, saiu Joel Cornelli e entrou Nilson Correia. No Assu, saiu Mirabor Rocha e entra Barata. No América, queda de Renatinho Potiguar e manutenção de Leandro Senna. No Globo, saída de Hugo Chacon e chegada de Romildo Freire.


Assim, permanecem João Paulo no Santa Cruz, Eugênio Gomes no Força e Luz, Higor César no Potyguar CN e claro, Moacir Júnior no ABC, coroado até então com um título e um bom time em campo que sofreu apenas uma derrota magra contra o rival.


Notoriamente para o segundo turno, é esperar o favoritismo de ABC e América, ainda que eu ache o alvirrubro natalense limitado, um Potiguar mais aceso com a chegada de Márcio Mossoró para o meio campo e as demais equipes beliscando pontos importantes nos seus domínios. O que é fato é que não se pode mais ter tanto erro bobo de arbitragem. Mas, em lisura, o campeonato está melhor do que no ano passado.

18 visualizações0 comentário