• Larissa Maciel

Opinião: a saída de Luciano não é tão surpreendente assim

Técnico comunicou a saída do alvirrubro nesta quinta (16).

A saída do técnico Luciano Quadros pode ser compreendida se interpretada em pequenos detalhes. Em um breve contato após a nota oficial do Potiguar, Luciano limitou-se a dizer que tinha “motivos pessoais e diversos”.


Para quem acompanha o Potiguar diariamente, como eu, a palavra a se destacar é justamente a última de sua fala. Técnico de intensidade e profissional que é, Luciano deixava claro nas entrevistas que tinha fé em seu trabalho, mas que esperava mais respaldo, principalmente em peças.


Até é importante recordar sua entrevista coletiva após o empate com Assu, quando, ao olhar pro banco se deparou com a falta de opções em um elenco enxuto (e isso não significa elenco ruim, mas literalmente pequeno), ele desabafou: “me sinto impotente. Se eu perder o Rossales, vou colocar quem? Se eu perder Jefão, Marielson, Léo, coloco quem? Eu vou ter uma reunião com Benjamim pra saber as reais condições”.

Tudo bem. Chegaram reforços. Três até então. O Potiguar afirma buscar mais nomes no mercado. É o que se precisa fazer. Mas aí retorno a entrevista lá no Edgarzão, onde ele falou “que o peixe vendido foi outro”. Falas sinceras, como ele assim demonstrou ser, devem ter mexido nos bastidores. Muita coisa deve ter passado por sua cabeça também.


Ora, vir do Rio à Mossoró com uma perspectiva e se deparar com outra?


O torcedor que o chama de fraco ou reclama de seu trabalho não sabe a bobagem que diz. Para achar novamente um nome no mercado como o de Luciano levará tempo.

Mas vale ressaltar: estou apenas enumerando os motivos que podem ter surgido aqui, dentro do trabalho. Os pessoais, nada posso dizer.

Sei que o time perde, mas não dá tempo pra lamentar. O tiro do estadual é curtíssimo e pede ações concretas e rápidas ao alvirrubro.

Sorte a Luciano. Deixou uma contribuição respeitosa e digna por aqui.




0 visualização

©2019 by Larissa Maciel. Proudly created with Wix.com