• Larissa Maciel

Primeira derrota com direito a desligamento de Jefinho

Potiguar conhece o seu primeiro resultado amargo.

Atacante Jefinho deixa o alvirrubro com um gol marcado contra o Assu - foto: Léo Moura/ACDP

O Potiguar sentiu pela primeira vez no campeonato o sabor amargo de uma derrota. Com um primeiro tempo de ritmo intenso do ABC, o alvirrubro mossoroense sentiu o peso do confronto na marcação. Com facilidade pelas laterais do campo, o alvinegro natalense encaixava jogadas de forma rápida com Allan Dias, Wallysson e Jefinho. Era questão de tempo abrir o placar.


Logo aos 14 minutos, gol de Jefinho, ex Potiguar. A resposta do time mossoroense até veio rápida em jogada que quase surpreendeu o goleiro Mateus, mas já existia o impedimento. Faltava ao Potiguar conseguir ditar mais o ritmo no meio campo. A intensidade do outro lado obrigava a pensar ainda mais rápido para o contra ataque e, neste ritmo, passes errados obrigavam também a primeira linha a ficar atenta.


O alvirrubro levou o segundo e até aí "tudo bem", era o normal para o desenho do jogo. O técnico Joel Cornelli resolveu sacar Narcílio, que não estava bem no jogo, para apostar em Jefinho. Este não durou cinco minutos em campo. Sofreu falta assim que entrou, reclamou da chegada do adversário e levou amarelo. Logo depois, o segundo cartão e a expulsão. O cenário complicou de vez. O ABC ainda faz o 3x0 para completar o desastre.


Fora o resultado do primeiro tempo e a expulsão de Jefinho, acho importante pontuar a postura do alvirrubro na segunda etapa. Ciente das suas limitações em campo, soube dosar mais o jogo e até criar ações com um a menos. A entrada de Vinícius foi benéfica ao time. Colaborativo, desafogou o Potiguar em alguns momentos e criou jogadas. Wilker perdeu chance clara. Harrisson poderia ter passado mais tempo em campo, ao meu ver.


Logo após ao fim da partida, o clube ainda comunicou o desligamento do atacante Jefinho. Em nota, o alvirrubro disse que "o motivo seria um fato ocorrido após o fim da partida, na porta do vestiário, no qual o jogador e o seu irmão, que se encontrava fora do estádio Frasqueirão, agrediram o atacante Wilker. O fato gerou um grande mal estar entre os integrantes da delegação."


O irmão do atleta entrou em contato com o blog:


"O meu irmão foi injustiçado, pois eu quem fiz a besteira e ele não participou e nem sabia q eu iria fazer aquilo", disse ele.


Ainda no contexto do jogo, comentei na TCM: Jefinho é bom de bola e pode ter uma tendência de crescimento em campo, mas precisa ser mais frio nos lances para evitar esse tipo de problema. Agora, em sua carreira, terá que absorver essa página.


Ao Potiguar, é blindar, de novo o elenco e entender que não tem muito o que lamentar. Já foi, já passou. Tanto a derrota quanto mais um desligamento no elenco. É entender a chance real de vencer o Força e Luz no domingo. A matemática é clara e segue. O Potiguar é melhor que o time elétrico e precisa fazer isso acontecer em campo.

94 visualizações0 comentário