• Larissa Maciel

Um Potiguar que cria expectativas

Alvirrubro empolga o seu torcedor e com razão. É saber dosar isso dentro do gramado.

Foto: Léo Moura/ACDP

Numa conversa entre o pessimista e um otimista que assistem o mesmo jogo do Potiguar, principalmente este contra o Assu, acredito que até o que tem menos fé gostaria do que vê. Sim, o alvirrubro encarou um Assu frágil, mas não tem nada com isso. Na bola, o que manda é ser superior e claramente o time mandante foi.


Desde os primeiros três minutos, o gol já era merecido. As jogadas foram melhor construídas nesta segunda rodada e o time tinha leveza para conduzir a bola da defesa para o ataque principalmente pela lateral com Lusa, Wilker e chegando com Narcílio e Carlos Alberto. Ainda no primeiro tempo, era possível contar com um 3x0.


O que dá gosto de ver neste Potiguar é a nitidez do objetivo. Na segunda etapa, sabendo que o camaleão chegaria com modificações e sedentos para diminuir o placar, soube fechar ainda mais a marcação. Até nos momentos de maior "tensão", digamos assim, deu para sobreviver. Uma zaga novamente sólida que faz até o experiente Alan Faria ser um mero espectador.


Interessante também pontuar primeiro a entrada de Harrison, que caiu como uma luva no time desde o primeiro jogo. Solto, o jogador sabe chamar a responsabilidade pra si e pode ser mais que um coringa. E por falar em modificações, contar com peças como Jefinho e Vinicius para o segundo tempo também dá um novo gás, até uma nova roupagem a esse Potiguar.


Sim, é um time que gera expectativa porque parece estar com elenco bem fechado às ideias do treinador. Vencer dentro dos seus domínios é mais que fundamental, é preponderante. Contra o Globo, dá para somar. A continha matemática segue o ritmo do padrão de evolução do time.


Você já criou expectativa ou não?

83 visualizações0 comentário